Sejam bem vindos...

Se você chegou até aqui é porque algum motivo teve para isso... seja qual for esse motivo, fico feliz de ter você comigo nesse meu cantinho.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

O imprevisível batendo a sua porta


Como é estranho quando, do nada, você se vê perplexo com determinadas atitudes suas diante de certos fatos. É aquela coisa, você (e me atrevo dizer que qualquer ser humano que pense) passou dias imaginando como seria sua reação diante de determinados acontecimentos e quando você se depara com os mesmos bem diante de seus olhos as coisas acabam seguindo um caminho totalmente contrário daquele previamente imaginado. Em tal questão que você tinha certeza que seguiria o caminho x você acaba seguindo o y e, ao mesmo tempo, em outra situação que provavelmente você seguiria o caminho y o que acontece é que você acaba indo em direção ao x. Assustador? Não! Simplesmente imprevisível. 

Acredito que um dos grandes desejos do ser humano é o de ter pleno domínio sobre seus atos e principalmente sobre suas reações. Confesso que passei horas tentando imaginar o que se passa dentro de mim e o porquê de eu estar tendo reações tão imprevisíveis diante dos fatos que, de certa forma, estão circundando a minha vida. Eu já não sabia que isso aconteceria? De certa forma eu sabia sim! Então eu me pergunto: “porque você não planejou milimetricamente suas atitudes diante dos fatos que estavam por vir?” Ei, e quem é que disse que eu não planejei? Digamos que sou uma pessoa prevenida e que pensou exatamente nas ações que eu deveria tomar diante do que está acontecendo, mas o que vejo hoje é que, literalmente falando, o tiro saiu pela culatra e o inesperado acabou acontecendo em minha vida.

Confusão, eu diria que esse é hoje meu nome. Está tudo misturado dentro de mim, sentimentos se confundem dentro desse ser humano que tenta, através dessas palavras, colocar um pouco desse sentimento para fora. Imagina você passar praticamente o ano inteiro vivendo um sentimento que você mesma dizia ser o maior que já sentiu em toda sua vida, passar por momentos de imensa alegria e ao mesmo tempo por momentos em que se encontrou no fundo do poço e, do nada, como em um simples passe de mágica, esse passado tenta adentrar novamente em sua vida e a sua reação, nesse exato momento, é de uma grande frieza diante disso. Será uma reação involuntária causada por um medo de que o passado volte a ser presente em sua vida? Sinceramente, eu não tenho essa resposta! 

Por outro lado sua vida estava começando entrar nos seus devidos eixos, tudo parecia caminhar para uma grande calmaria e você encontrava-se na direção desse novo rumo que optou por tomar. Maravilhoso você ter pleno domínio sobre seus atos, não é verdade? Eu me atrevo a dizer que não há sensação melhor no mundo que essa, mas do nada, mais uma vez como um simples passe de mágica, você se vê realmente envolvida com esse novo mundo que resolveu encarar e vê que com isso, o controle que antes estava em suas mãos acaba sendo passado para o outro lado. O que fazer diante desse fato? Bem, não estava realmente nos planos perder tão rapidamente o controle e, diante disso, reações totalmente inesperadas acabam acontecendo e quando se percebe você está totalmente sem domínio e sem ações a serem tomadas. Para tudo! Mas e aquele caderninho de anotações que você fez para recorrer nesses momentos? Recorra a ela e simplesmente retome a direção da sua vida! Bem, isso é o que qualquer pessoa sensata falaria, mas tenho certeza que dificilmente conseguiria colocar em prática, afinal de contas nem toda teoria casa-se bem com a prática. 

E não pensem que as coisas acabam por ai, porque isso não é verdade! Como se já não bastasse uma frieza inesperada diante de determinada situação e a perda do controle diante da outra eu me atreveria a dizer que ainda existe certo fato rondando por fora, algo que, de alguma forma, parece querer entrar no meio de toda essa confusão e mostrar sua presença, mostrar que também está com plena força para entrar nesse meio e tornar as reações ainda mais inesperadas e confusas. Ok! Para esse caso eu diria que ainda estou engatinhando, afinal de contas, não custa nada ser uma pessoa prevenida e, como já diria aquele velho ditado, um é pouco, dois é bom, mas três já é demais.

A grande verdade diante de tudo que anda acontecendo é que eu não sei ao certo o que fazer, quais atitudes devem ser tomadas. Alguns me dizem que eu deveria simplesmente sentar e esperar que o destino se encarregue de fazer seu trabalho, mas quem disse que sou mulher de esperar que o destino decida o que é melhor ou não para minha vida, afinal de contas a vida é minha e quem tem que saber o que é melhor ou não para ela sou eu, mas ao mesmo tempo tais atitudes necessitam de muita segurança para serem tomadas e quem é que disse que nesse momento eu me sinto segura para dar as ordens a minha própria vida, afinal de contas, como eu bem disse no inicio desse texto, confusão hoje é meu nome e uma pessoa que carrega um nome desses não tem a mínima condição de decidir o que é melhor para a própria vida. Resta-me então esperar que o inesperado faça sua parte? É, talvez sim, mas talvez não porque meu nome pode até ser confusão, mas meu sobrenome é ansiedade. 

2 comentários:

tamara disse...

Amigaaaaaaaaaaaa
Pbarabéns pelo seu blog
ele é lindo,perfeito.
sya cara viu,
Ameeeeeeeeeeeeeeei

Patricia disse...

Obrigada!! Fico feliz que tenha gostado do meu cantinho!!!